30 ANOS DE EXPERIÊNCIA ACOMPANHANDO INVESTIDORES DO

MUNDO INTEIRO NA CONCEPÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO

DOS SEUS PROJETOS DE NEGÓCIOS NA CHINA

ALÉM DA FEIRA DE CANTÃO E DOS FORNECEDORES CHINESES

Gerenciando sua cadeia de suprimentos ao estabelecer uma presença na China

28 Fev 2018

Escrito por Luz Martinez, Sharon Chiu e Marant Caballero

A China é reconhecida mundialmente como a fábrica do mundo. Se pegarem qualquer item da nossa cozinha ou sala, provavelmente encontrarão o rótulo Made in China na maioria deles. Muitas marcas – locais ou internacionais- terão seus produtos fabricados na China. O grande número de fábricas de propriedade local e de investimento estrangeiro encontradas em todo o país apenas serve para reforçar o papel da China como um importante núcleo de fabricação.

Mas por que tudo é feito na China? Não há uma resposta simples, mas é fácil notar o grande número de fábricas e produtores, locais e internacionais que se encontram neste país. No entanto, as cadeias de suprimento e produção encontram-se distribuídas em diferentes regiões do país. Um dos maiores motores econômicos da China é a Província de Guangdong, localizado ao sul.

Historicamente, este lugar é conhecido como Cantão e as cidades estratégicas estão localizadas no Delta do Rio das Pérolas (DRP). Apelidado como o “Vale do Silício da China”, Shenzhen, é uma estufa de inovação que impulsiona o mecanismo de progresso e desenvolvimento. A cidade é o lar de um crescente número de empresas de alta tecnologia, pois, continua a se estabelecer como um nirvana tecnológico.

É claro que qualquer discussão sobre o Sul da China seria incompleta sem falarmos de Hong Kong, Região Administrativa Especial da China. Louvado pela liberdade econômica, competitividade, oportunidade e facilidade de negócios, e seu papel de centro financeiro internacional, Hong Kong é um “super-conector” que facilita o comércio entre a China e o resto do mundo.

Para não mencionar que a capital da província, a cidade de Guangzhou, é outro centro de negócios, logística e produção crítico da região. Parte do renome internacionalmente de Guangzhou pode ser atribuída à famosa Feira de Cantão, oficialmente conhecida como a Feira de importação e Exportação da China, que tem sido realizada desde 1957. É uma ótima plataforma para conhecer os diversos fornecedores chineses e uma grande variedade de produtos, bem como aproveitar uma extensa rede de parceiros de importação e exportação.

A Feira de Cantão acontece duas vezes ao ano: uma na primavera entre abril e maio e novamente no outono entre outubro e novembro; Cada edição se divide em 3 fases. Na primeira fase da feira, são exibidos bens relacionados a máquinas, eletrônicos, hardware e ferramentas, etc. Há também uma seção chamado Pavilhão Internacional dedicada a delegações empresariais internacionais que vêm mostrar seus produtos e serviços. Na segunda fase, são exibidos bens de consumo e decorações para o lar, entre outros itens. E finalmente, na terceira fase, os produtos alimentícios, têxteis, e vestuários, calçados, produtos relacionados à saúde e dispositivos médicos são apresentados ao lado da segunda rodada do Pavilhão Internacional.

Sendo um período muito dinâmico para os negócios e dada a grande oferta de produtos, muitos empresários percebem que não basta apenas encontrar fornecedores, mas também às vezes é necessário estabelecer uma entidade jurídica que possa verificar e monitorar o controle de qualidade sobre os produtos ou mesmo a cargo da exportação da China, isso garante um controle constante e certifica que a mercadoria cumpram com a qualidade requerida.

Nesta fase, é quando a ideia de estabelecer um escritório ou um meio de representação na China pode ser relevante.

Quais São os Benefícios ou Vantagens de Estabelecer na China?

Ter uma presença física no lugar onde uma parte significativa das operações comerciais está baseada pode, por sua vez, ajudar a selar um negócio, o que de outra forma pode ser dificultado pela longa distância, aumentando a incerteza e impedindo a comunicação efetiva entre as partes. Em geral, é aconselhável que venha fisicamente à China para procurar fornecedores locai sem vez de fazê-lo remotamente; desta forma, você pode ter mais controle sobre o relacionamento comercial. Além disso, mais fácil inspecionar o local de produção e acompanhar os fornecedores para garantir que estejam em conformidade com os padrões estipulados e tenha capacidade e recursos para atender às necessidades do cliente.

Nos costumes da cultura empresarial chinesa, é importante enfatizar o conceito da “face” (no sentido de reputação) no momento de fazer negócios. Ter uma relação íntima e amigável com seus fornecedores podem reduzir o risco de práticas comerciais, já que estarão empenhados em manter o seu prestígio e reputação na sua presença. Neste sentido, você pode alcançar um certo grau de controle e pressionar o fornecedor a cumprir, por exemplo, padrões de qualidade. Além do mais, isso pode ser uma ferramenta de barganha para diminuir os preços dos bens e ter melhor alavancagem de negociação com seus fornecedores.

Outra vantagem de estabelecer uma empresa na China é que você pode reduzir o número de intermediários e reduzir os custos ao lidar diretamente com os fabricantes. É comum encontrar nas feiras ou eventos de fornecedores, intermediários que visam facilitar a comunicação entre as fábricas e os compradores. Ter um escritório próprio oferece-lhe um melhor conhecimento do ambiente de negócios e permite que você realize sua pesquisa aprofundada para procurar fabricantes genuínos.

Outra vantagem de estabelecer uma empresa na China é que você pode reduzir o número de intermediários e reduzir os custos ao lidar diretamente com os fabricantes. É comum encontrar nas feiras ou eventos de fornecedores, intermediários que visam facilitar a comunicação entre as fábricas e os compradores. Ter um escritório próprio oferece-lhe um melhor conhecimento do ambiente de negócios e permite que você realize sua pesquisa aprofundada para procurar fabricantes genuínos.

É importante ressaltar que existem indústrias específicas na China, onde investimento estrangeiro é restrito nas Diretrizes do Catálogo de Investimentos Estrangeiros. No entanto, esta publicação do governo chinês é atualizada anualmente de acordos com suas políticas de desenvolvimento nacional; e o acesso ao mercado continua a ser ampliado para investidores estrangeiros ano após ano.

Escritório Representativo

Possuir um escritório de representação permite que uma empresa estrangeira realize pesquisas de mercado e atividades de ligação, por exemplo, com seus clientes e fornecedores. É uma maneira relativamente econômica de testar o mercado chinês, uma vez que não possui capital social como requisito e outras obrigações de investimento de capital ou de capital mínimo.

No entanto, a maioria dos modelos de Escritório de Representação não podem exercer nenhuma forma de atividades lucrativas. Uma vez que os Escritórios de Representação não têm “personalidade jurídica”, eles não podem entrar em nenhum contrato comercial em seu próprio nome. Além disso, os Escritórios de Representação só podem nomear até quatro “representantes” estrangeiros, que são contratados pela empresa — mãe. Quanto aos funcionários chineses locais, um Escritório de Representação deve contratar indiretamente através de empresas de serviços de emprego autorizado.

Empresa Totalmente Estrangeira (WFOE)

A outra escolha comum é uma Empresa Totalmente Estrangeira (WFOE), que é uma empresa de responsabilidade limitada de acordo com as leis chinesas. Ao contrário de uma RO, a WFOE pode se envolver em atividades lucrativas e emitir faturas na moeda local. Em contraste com as joint ventures sino — estrangeiras, este tipo de entidade não requer um parceiro comercial chinês; portanto, permite que a empresa estrangeira tenha um controle mais direto sobre o processo de tomada de decisão e o risco de vazamento de propriedade intelectual também é reduzido.

A Lei das Empresas da RPC (com vigência a partir de 1 de março de 2014) aboliu o requisito de capital social mínimo para empresas de responsabilidade limitada. No entanto, como uma questão prática, as autoridades locais de registro têm seus padrões básicos sobre o capital adequado para certos modelos de atividades comerciais. O capital registrado é o investimento inicial que pode ser usado imediatamente no funcionamento da WFOE. Uma vez que a China é muito séria no controle das divisas e do movimento transfronteiriço de dinheiro, os investidores devem contribuir com o capital social suficiente para sustentar a WFOE até que ela possa gerar receitas para se sustentar.

Embora diretrizes e regulamentos tenham sido estabelecidos para serem seguidos, na prática, é sempre aconselhável contar com o suporte profissional e o conhecimento de um especialista. CW CPA é uma consultoria profissional e firma de Contabilidade Pública Certificada, que tem mais de 30 anos de experiência em ajudar os investidores estrangeiros a navegar nas águas incertas que os negócios da China podem representar. Podemos ajudá-lo com as tarefas mais demoradas, para que você possa se concentrar no que mais interessa para você — o seu negócio principal. Somos o “conector” que supera a diferença entre o seu negócio e a China. Se tiver alguma dúvida sobre este artigo ou outros inquéritos relacionados ao investimento na China, entre em contato com Marant Caballero em las@cwhkcpa.com .

© COPYRIGHT - DEPARTAMENTO LATINO